domingo, 19 de junho de 2011

ES: Jovem é assassinado por não obedecer a toque de recolher

foto: Carlos Alberto Silva
Rosilaine dos Santos Filgueira e Simone dos Santos Pessoa choram a morte do irmão, Eduardo dos Santos Pessoa, 20 anos, que foi morto a tiros no Bairro Feu Rosa, na Serra
Irmãs de Eduardo Rosilaine  e Simone afirmam que o repositor era trabalhador e pacato. Ele não sabia do toque de recolher

Mayra Bandeira
mpbandeira@redegazeta.com.br


O repositor Eduardo dos Santos Pessoa, 21 anos, foi assassinado a tiros enquanto falava ao telefone, em Feu Rosa, na Serra, na madrugada de ontem. Há suspeita de que ele não tenha respeitado o toque de recolher imposto por traficantes do bairro ou tenha sido confundido com algum bandido da região. Segundo familiares, o jovem era pacato, não tinha envolvimento com drogas e não estava sendo ameaçado.

Eduardo foi morto com 12 tiros, logo após ter saído de uma festa na casa de uma amiga. Ele - que era morador de Central Carapina, também na Serra - saiu do trabalho direto para o evento a convite de um colega de serviço.

De acordo com testemunhas que participaram da festa, Eduardo foi confundido com um criminoso do bairro. Uma jovem disse ter visto um carro rondando o local horas antes do homicídio.

Outros relatos são de que o repositor estava sentado na calçada, falando ao telefone, quando foi avisado para sair da rua, mas ele não ouviu o aviso e foi ferido. Eduardo iria completar 22 anos no próximo mês e, segundo a família, estava juntando dinheiro para comprar uma motocicleta, um de seus sonhos.


foto: Carlos Alberto Silva
Eduardo dos Santos Pessoa, 20 anos, morto a tiros no Bairro Feu Rosa, na Serra
Eduardo dos Santos Pessoa, 20 anos, morto a tiros no Bairro Feu Rosa, na Serra
Silêncio

Na Rua dos Eucaliptos, local do crime, o clima de medo impera, e apesar do toque de recolher dado no início da semana, o comércio no bairro funciona normalmente.

O toque de recolher na região de Feu Rosa e Vila Nova de Colares não foi o único nesta semana, na Serra. Na tarde de sexta-feira, criminosos teriam dado a mesma ordem em Nova Almeida, e cerca de 530 alunos ficaram sem aulas na comunidade.

Duas creches estão entre as instituições de ensino que tiveram as atividades canceladas. Apesar da suspensão da aulas nas escolas, o comércio local permaneceu aberto durante todo o dia.

A dor da família

"Meu filho tinha sonhos que infelizmente não vão mais se realizar. Ele nunca se envolveu em brigas, ia à igreja sempre que podia, gostava de ficar em casa no computador. E morreu por causa de briga entre traficantes... A droga está destruindo famílias. Onde isso vai parar?", Francisco Pessoa, 52, pai do rapaz morto

"Na quarta-feira, eu sonhei que ele havia morrido. Foi horrível! Comentei com a minha mãe, e ela disse que também havia sonhado comisso. No sonho dela, ele levava dois tiros pelas costas e saía correndo gritando e pedindo ajuda. Nunca imaginei que isso podia ser tornar realidade", Simone dos Santos Pessoa 22 anos, irmã

"Dudu nunca saía do trabalho direto para uma festa. Ele sempre avisava antes à família ou passava em casa primeiro. Se ontem (sexta) ele tivesse ligado e falado sobre isso, eu não teria deixado ele sair, porque sabia desse toque de recolher. A dor que estou sentindo agora não desejo para ninguém", Rosilaine dos Santos Filgueira, 23, irmã da vítima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário